Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino

Nos últimos 15 anos, o empreendedorismo feminino conquistou um significativo controle do mundo dos negócios. O número de pequenas empresas pertencentes a mulheres cresceu 34%. Hoje, mais de um terço (38%) das companhias em funcionamento são de propriedade exclusiva de mulheres

As mulheres empresárias variam de donas de pequenas empresas de origem familiar a poderosas executivas-chefes de algumas das empresas mais notáveis do mundo. Enquanto as mulheres ainda enfrentam certos desafios no caminho do empreendedorismo, elas invariavelmente estão mudando o jogo, criando novos modelos de negócios e novos empregos e, finalmente, ajudando a moldar e fazer crescer a economia.

Crescimento do empreendedorismo feminino

O Global Entrepreneurship Monitor constatou que, em 2018, a atividade empreendedora feminina em todo o mundo aumentou 10% e 163 milhões de mulheres estavam iniciando ou administrando novos negócios em 74 países diferentes apenas naquele ano. Além disso, o Índice Kaufman relatou que 230 de cada 100.000 mulheres se tornaram empreendedoras todos os meses.

Enquanto o número de mulheres empreendedoras está em ascensão, os especialistas têm opiniões diferentes sobre o que está impulsionando esse rápido crescimento. 

De acordo com o Conselho Nacional de Mulheres, as mulheres empreendedoras geralmente se enquadram em duas categorias: as que desejam explorar uma oportunidade de mercado e as que fazem negócios por conta própria após perceberem que a força de trabalho tradicional não oferece opções que atendam suas necessidades econômicas básicas.

Independentemente de suas razões para se tornarem donas de empresas, mais mulheres do que nunca estão encontrando sucesso no mundo empresarial. 

A proporção de novos empreendedores — os que têm um negócio com menos de 3,5 anos — é maior entre elas: 15,4% contra 12,6% de homens.

Impactos do empreendedorismo feminino

Apesar dos números atuais, as taxas de empreendedorismo feminino historicamente ficaram abaixo das dos homens — embora, em teoria, o empreendedorismo seja o jogo de qualquer pessoa independentemente de gênero.

Felizmente, em benefício da inovação, dos negócios e da sociedade como um todo, como mostramos, vimos um aumento nas taxas de empreendedorismo feminino. 

Mas o aumento das taxas de empreendedorismo feminino é apenas metade da história. O impacto econômico do aumento da participação empresarial feminina é significativo e mantém o potencial de continuar sendo um importante impulsionador do crescimento econômico. 

O Brasil está em 10° lugar quando se trata de mulheres em cargos de liderança — 61% das empresas por aqui possuem ao menos uma mulher em posições de chefia. Quando analisadas as estatísticas que mostram que as empresas lideradas por mulheres têm desempenho duas vezes maior do que as lideradas por homens, pode-se começar a imaginar o impacto significativo que o aumento contínuo dos negócios liderados por mulheres pode ter na criação de empregos e no crescimento econômico. 

Além disso, à medida que os investidores continuam buscando oportunidades para maximizar retornos sobre seu capital, seria prudente olhar para negócios liderados por mulheres: estudos mostram que, em média, as empresas fundadas por mulheres criam 60% mais valor para os investidores do que as fundadas por homens.

Desafios ao empreendedorismo feminino

Apesar dos grandes avanços, as empreendedoras continuam enfrentando barreiras. Conforme observado pela Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Econômica (OCDE), entre outros desafios, a falta de treinamento e financiamento continuam sendo um grande obstáculo para as mulheres empreendedoras . A falta de financiamento alocado para empresas lideradas por mulheres é particularmente assustadora.

Estudos mostram que essas instituições de crédito tradicionais, como bancos e cooperativas, continuam resistentes a emprestar dinheiro para mulheres empresárias, na medida em que seu índice de aprovação é 20% menor do que para homens que estão começando suas próprias empresas. Na prática, isso significa que uma empresa pertencente a uma mulher começa com uma carga de dívida mais pesada.

Uma alternativa que parece estar trabalhando a favor das mulheres, porém, é o aumento das iniciativas de financiamento coletivo. Este é um local completamente neutro em termos de gênero para levantar capital para novos negócios.

Aqui na Airbox acreditamos que, independentemente do sexo, qualquer empreendedor lhe dirá que o empreendedorismo bem-sucedido é uma tarefa desafiadora que exige profundo comprometimento e quantidades ilimitadas de motivação.

E você, o que acha? Deixe seu comentário abaixo e nos conte mais sobre sua visão do empreendedorismo feminino!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *