Scrum: tudo o que você precisa saber

2228
scrum

Se você conhece o universo das startups e das empresas inovadoras, já deve ter ouvido sobre o Scrum. Scrum é um framework que ajuda equipes a trabalharem juntas com alta performance e que pode ser aplicada ao desenvolvimento de produtos e serviços em qualquer empresa. 

O termo Scrum surgiu do rugby, um esporte coletivo originário da Inglaterra. Assim como no jogo, onde o time precisa treinar para uma grande final, o Scrum estimula as equipes a se organizar para resolver um problema, aprender com as experiências e refletir sobre suas conquistas e fracassos para obter melhores resultados. 

O conceito do Scrum no desenvolvimento de software foi introduzido pela primeira vez em 1986 por Hirotaka Takeuchi e Ikujiro Nonaka em um artigo publicado pela Harvard Business Review. Nesse artigo, intitulado “O novo jogo de desenvolvimento de novos produtos”, os autores usaram metáforas para descrever duas abordagens diferentes para gerenciar o desenvolvimento de produtos. 

Eles citaram que algumas equipes eram como corredores em uma corrida de revezamento, passando o bastão, trabalhando em linha reta. Outras equipes eram jogadores de rugby, jogando um único jogo e passando as coisas para frente e para trás, conforme necessário.

Ao final, Takeuchi e Nonaka concluíram que a abordagem corrida-revezamento estava desatualizada. Eles acreditavam que o estilo adaptativo do rugby daria às empresas as ferramentas necessárias para competir em um mundo de negócios dinâmico como é o atual.

Oficialmente, o primeiro time de desenvolvimento Scrum foi criado por Jeff Sutherland em 1993 e a sua primeira aplicação foi relacionada ao desenvolvimento de softwares na Easel Corporation.

Alguns anos depois Jeff, em parceria com Ken Schwaber (que na época pesquisava metodologias de otimização de tempo em projetos) desenvolveu a primeira definição clara de Scrum e a apresentou na OOPSLA (Object-Oriented Programming, Systems, Languages & Applications) em 1995. Jeff e Ken fizeram parte do time de desenvolvedores responsáveis por escrever o Manifesto Ágil.

Mas afinal… O que é Scrum? E para o que ele serve? Vamos conferir a seguir!

O que é Scrum

O Scrum é uma abordagem ágil de gerenciamento de projetos. Ela é usada, principalmente, pelas equipes de desenvolvimento de software, mas seus princípios e lições também podem ser aplicados a todos os tipos de trabalhos em equipe, especialmente as que desejam criar produtos inovadores.

A metodologia Scrum articula um conjunto de valores e princípios para orientar as decisões sobre como desenvolver uma solução de qualidade o mais rápido possível.

Se você está se perguntando por que as equipes de desenvolvimento devem utilizar este tipo de framework, é importante saber que o Scrum é uma das formas eficientes que estes times encontraram para organizar e entregar novos recursos incrementais em ciclos curtos entre 2 a 4 semanas. 

E, se agora você também está se perguntando se o Scrum é útil para você, a resposta é: sim!

Quem usa esta metodologia?

O Scrum, como já dissemos, é muito utilizado pelas equipes de desenvolvimento de software. Mas, na verdade, é uma abordagem ágil muito popular entre as empresas inovadoras.

De acordo com o 12º relatório anual State of Agile, 70% das equipes de software usam o Scrum ou algum outro método baseado nele. No entanto, a metodologia se espalhou por outras áreas, incluindo TI e marketing, onde são comuns o desenvolvimento de projetos complexos que devem avançar com determinada agilidade e adaptabilidade.

As equipes de liderança também estão baseando suas práticas de gerenciamento ágil no Scrum, geralmente combinando-o com as práticas do Kanban.

Devemos lembrar que um dos benefícios do Scrum é sua adaptabilidade e, por isso, a metodologia pode se aplicar a diversas outras áreas ou tipos de projetos.

Qual a relação entre Scrum e o Método Ágil?

O Scrum é um subgrupo do Ágil ou Agile. O Agile determina um conjunto de valores e princípios que norteiam as interações e atividades do dia a dia de um time. Ele também é responsável por influenciar os comportamentos, processos, práticas e ferramentas utilizadas por esses times. O Agile em si não é prescritivo ou específico.

Por sua vez, o Scrum segue os valores e princípios do Agile e também inclui outras definições específicas de certas práticas, artefatos e cerimônias.

Embora tenha sido estruturado inicialmente como uma prática aplicada para o desenvolvimento de software, o Scrum se tornou o framework preferido para o gerenciamento de projetos em geral e, e se popularizou em outras áreas como marketing e RH.

Os benefícios do Scrum

Maior produtividade da equipe;
Produtos finais de melhor qualidade;
Redução no ciclo de atualização dos produtos;
Maior satisfação dos clientes;
Melhora na dinâmica de equipe;
Funcionários mais motivados;
Adaptabilidade a diversos projetos;
Menos burocracia;
Entrega contínua de valor;
Feedbacks recorrentes;
Alta velocidade na conclusão de etapas.

O Scrum e os seus componentes

A metodologia Scrum é definida por funções de equipe, eventos (cerimônias), artefatos e regras. A seguir, falaremos um pouco mais sobre cada uma delas.

A equipe Scrum

As equipes Scrum geralmente são compostas por 3 a 9 pessoas e não têm um líder para delegar tarefas ou decidir como um problema será resolvido. Essa equipe, como uma unidade, deve decidir como abordar e resolver os problemas. 

Cada membro da equipe Scrum é parte integrante da solução e deve se responsabilizar por uma entrega desde o início até a conclusão.

Existem três funções principais dentro de uma equipe Scrum

O Product Owner: é – em tradução literal – o Dono do Produto e o principal interessado pelo projeto (trata-se geralmente de um cliente interno ou externo ou de um porta-voz do cliente).

Deve haver apenas um Product Owner e este deve transmitir a missão e a visão geral do produto para que a equipe possa desenvolvê-lo. Ele também é responsável por gerenciar e priorizar o backlog do produto e aceitar ou não modificações e incrementos.

  1. O Scrum Master: é o líder servidor da Equipe. Sem autoridade hierárquica sobre a equipe, mas sim mais como um facilitador, ele deve garantir que a equipe siga a teoria, práticas e regras do Scrum.

Este líder também deve fazer todo o possível para ajudar a equipe a ter um desempenho de alto nível. Isso pode incluir remover impedimentos, facilitar reuniões e ajudar o Product Owner a preparar o backlog.

  1. A Equipe de Desenvolvimento: é um grupo multifuncional auto organizado, capacitado com todas as habilidades para a entrega do backlog acordado para cada sprint. É quem efetivamente põe a mão na massa para criar incrementos de produto. 

Não deve haver títulos nem hierarquia na Equipe de Desenvolvimento e ninguém, incluindo o Scrum Master, deve dizer à Equipe de Desenvolvimento como transformar itens do backlog do produto em incrementos potencialmente entregáveis.

Eventos Scrum (cerimônias)

O Sprint é um período de tempo limitado durante o qual um trabalho específico é concluído e preparado para revisão. Sprints geralmente duram de 2 a 4 semanas, mas podem durar apenas uma semana.

O Sprint Planning são reuniões da equipe de planejamento que determinam quais itens do backlog do produto serão entregues e como o trabalho será realizado.

A Daily é uma reunião curta de comunicação – que ocorre em no máximo 15 minutos – em que cada membro da equipe comenta, de forma rápida e transparente, o progresso desde a última daily, o trabalho planejado para o dia e qualquer problema (impedimento) que possa estar atrasando o seu progresso.

A Sprint Review é um tipo de evento de demonstração para a equipe apresentar o trabalho concluído durante o sprint. O Product Owner deve verificar o trabalho em relação aos critérios de aceitação predefinidos e aceitar ou não o trabalho realizado

As partes interessadas ou clientes podem fornecer feedbacks para garantir que as entregas atenderam às necessidades do negócio.

A Retrospectiva é a reunião final da equipe no Sprint, que serve para determinar o que deu certo, o que não deu e como a equipe pode melhorar no próximo Sprint. Ou seja, trata-se da reunião de Lições Aprendidas, onde o objetivo é discutir de forma madura o que não deu certo sem focar em achar culpados. 

Com a participação da equipe e do Scrum Master, a Retrospectiva é uma oportunidade importante para a equipe focar em seu desempenho geral e identificar estratégias de melhoria contínua em seus processos

Artefatos do Scrum

Backlog do produto: é o documento mais importante, ele descreve todos os requisitos de um sistema, projeto ou produto. O backlog do produto pode ser pensado como uma lista de entregas com itens de trabalho, cada um dos quais produz uma entrega com valor para o negócio. Os itens do backlog são ordenados e priorizados pelo Product Owner.

Sprint Backlog: é a lista específica de itens obtidos do backlog do produto, que foram selecionados pelo PO e devem ser concluídos em uma sprint.

Incremento de Produto: é a soma de todos os itens do backlog do produto, que foram concluídos desde a última versão do produto. Embora seja responsabilidade do Product Owner decidir quando um “incremento” é liberado, é responsabilidade da equipe garantir que tudo o que está incluso nele esteja pronto para ser liberado.

Regras do Scrum

As regras do Agile Scrum devem ser totalmente definidas pela equipe e regidas pelo que funciona melhor para seus processos. 

Um bom caminho é orientar as equipes para começarem com os eventos scrum listados acima e, em seguida, inspecionar e adaptar com base nas necessidades exclusivas de sua equipe para que haja uma melhoria contínua na forma como as equipes trabalham juntas.

As 8 etapas do Scrum

  1. Defina o PO e o time

Para começar, é preciso definir quem será o Product Owner do seu projeto Scrum. 

Além disso, lembre-se de realizar a escolha dos membros do time visando o que cada projeto necessita, como por exemplo: desenvolvedores, designers, profissionais de TI ou de Marketing, caso necessário.

  1. Defina o Scrum Master

Ao definir um Scrum Master, é importante que este profissional entenda do método, tenha experiência e consiga direcionar a equipe em todos os ciclos.

  1. Crie o backlog 

A primeira versão do backlog deve conter uma lista de funcionalidades e requisitos necessários para desenvolver a solução.

Ao longo dos ciclos, esse documento irá evoluir naturalmente, conforme surgem erros, ajustes e novas demandas do cliente e da equipe.

  1. Planeje o Sprint

Cada Sprint tem seu próprio Backlog, a partir do qual são distribuídas as tarefas e responsabilidades da equipe.

Por isso, na primeira reunião do Scrum, os participantes devem planejar os Sprints do projeto.

  1. Acompanhe e revise cada Sprint

Com a realização periódica dos Sprints, será preciso revisar as ações e acompanhar de perto o progresso do trabalho.

Para isso, é necessário utilizar um método de gestão de tarefas que deixe o progresso visível para todos, como por exemplo, um quadro Kanban ou um Scrum Board.

  1. Pratique a Daily

Como já dissemos, a Daily é uma reunião diária, que deve ser feita sempre no mesmo horário, não devendo ultrapassar 15 minutos.

Nessa conversa rápida, cada integrante do time deve responder a três perguntas essenciais:

  • O que você fez ontem para ajudar a equipe a alcançar o objetivo do Sprint?
  • O que você vai fazer hoje para chegar mais perto desse objetivo?
  • Você está vendo algum obstáculo que pode atrapalhar a conclusão do objetivo?

Essas respostas são suficientes para garantir o avanço do projeto, correção de erros e um ritmo muito mais rápido e produtivo – típico dos métodos ágeis.

  1. Apresente as entregas na reunião de Revisão

Na finalização de cada Sprint, os times devem se reunir para apresentar os resultados obtidos. Nesta etapa é importante, além do PO, convidar também os gestores, clientes e stakeholders. 

  1. Realize a Retrospectiva

Depois disso, vale a pena fazer a retrospectiva do Sprint, quando todos se reúnem para discutir o aprendizado e possíveis melhorias para os próximos projetos.


Colocando em prática

Para começar a utilizar o Scrum, uma equipe pode e deve usar ferramentas simples como um quadro branco, post-its, ou até mesmo uma planilha para gerenciar o backlog do produto e o progresso dos itens do sprint backlog em cada sprint. 

Escalar práticas ágeis para o resto da organização é, sem dúvida, mais complicado: quanto mais as equipes usam Scrum dentro de uma organização ou quanto maior for a necessidade de comunicação entre equipes distintas que utilizam o método, mais difícil será a utilização destas ferramentas simples. 

Por isso, neste momento é importante que você conte com o auxílio de uma ferramenta de gestão de ágil de tarefas.

Artigo anteriorComo realizar a gestão da mudança nos serviços prestados
Próximo artigoGestão e controle de SLA: você no comando da fila de atendimentos e sem riscos de multa

Deixe um comentário